ImprensaNotícias

Marketing Jurídico ético com Maiara Trombini, da Polônia para o Brasil

Confira a entrevista que concedi ao Portal Jusbrasil sobre Marketing Jurídico.

Este conteúdo faz parte da missão da nossa comunidade: Responder todas as questões jurídicas. Ainda não conhece a comunidade Jusbrasil? Saiba mais sobre como ajudamos o Brasil a ser um país mais justo.

Imagine, caro leitor, que você produz, produz e produz vários conteúdos jurídicos, não consegue enxergar o resultado desse esforço e muito menos ganhar a visibilidade que espera no meio digital. Muito provavelmente, isso pode significar que você não está seguindo uma estratégia ou não traçou nenhum plano para fazer dar certo.

O marketing jurídico ajuda nisso, seu intuito é fortalecer a imagem de escritórios e advogados no meio digital e, principalmente, sem ferir o Código de Ética e Disciplina da OAB. Acompanhe a entrevista que fizemos com a Maiara Trombini, especialista sobre o assunto, e dê um passo à frente nesse imenso meio digital.

Maiara Trombini tem 33 anos, é de Alegrete, RS e reside atualmente em Varsóvia, na Polônia. É empreendedora, oferece cursos, mentoria, treinamento em marketing jurídico, faz palestras e tem cerca de 14 mil seguidores no Instagram. Atua no marketing jurídico há 6 anos e iniciou sua própria empresa de mentoria e treinamentos.

Por que é importante investir em marketing na advocacia?

Segundo pesquisa da TIC Domicílios, 70% da população brasileira está conectada, o que equivale a 126,9 milhões de pessoas. Tornar-se autoridade em uma área de atuação é muito importante para o sucesso do negócio.

O marketing abre muitas portas ao longo do tempo e saber realizá-lo de acordo com o propósito do escritório é extremamente vantajoso. É importante salientar que as estratégias de marketing jurídico devem ser pensadas, estruturadas e implementadas de acordo com o público-alvo. O prévio estudo sobre os prospects ideais deve ser realizado com regularidade, pois o foco do escritório pode mudar ao longo do ano.

O que uma pessoa que está começando no marketing jurídico precisa se preocupar?

O primeiro ponto muito importante que o profissional da área jurídica precisa entender é o que ele está buscando e como será o formato do seu negócio ou carreira. Após esse entendimento, é necessário colocar tudo no papel e desenvolver um planejamento com as informações sobre o negócio. Todas as anotações determinarão as ações de marketing, especialmente, se você conhecer muito bem o perfil do seu público-alvo.

A partir do momento que você tiver um alinhamento, conseguirá entender quais os canais de comunicação são relevantes para o seu público, a linguagem apropriada, o formato de conteúdo (áudio, imagem, vídeo ou texto) e outros fatores que definirão o branding.

Quais recompensas o marketing jurídico já te trouxe?

Ao longo desses quatro anos de empreendedorismo, tive a oportunidade de conhecer e trabalhar com muitas pessoas em desafios tão diferentes e interessantes. Quando lancei minha empresa, em 2016, estruturei minha marca e planejamento para ser reconhecida e atuar de qualquer lugar do mundo. Hoje, uma das grandes recompensas de empreender é poder trabalhar diretamente de outro país e manter relações estratégicas com clientes e parceiros. Há um ano e cinco meses atendo de forma totalmente remota, diretamente da Polônia para o Brasil.

O que fez você começar a publicar no Jusbrasil?

O Jusbrasil é um portal importante que contribui diariamente com informações relevantes para a sociedade e para o meio jurídico, além de agregar muitos profissionais de Direito. Como a minha empresa possui como foco o Marketing Jurídico, estar presente onde o meu público-alvo está, torna minha marca mais visível. Sempre tive como propósito a colaboração e o compartilhamento de conteúdos relevantes que possam contribuir na carreira dos profissionais que me acompanham e a presença no Jusbrasil facilita a entrega desse conteúdo a um grupo maior de pessoas.

Existem ferramentas essenciais para investir no marketing jurídico? Se sim, quais são?

Sim, depende da estratégia de cada negócio e do público-alvo. Normalmente, as ferramentas e metodologias são identificadas quando se faz um plano de ação. Para exemplificar, podemos imaginar um advogado que atua em uma cidade do interior e atende pessoa física, mais precisamente idosos que buscam se aposentar.

Possivelmente, alguns dos seus potenciais clientes não têm acesso à Internet ou não a utilizam, outros talvez não sejam alfabetizados. É importante entender o público-alvo antes de qualquer ação. No exemplo citado, talvez ações mais tradicionais ainda sejam as melhores opções como o cartão de visita, calendário, agenda, entrevista no jornal local da cidade ou entrevista informativa em uma emissora de rádio.

Agora, se o advogado conhece o seu público-alvo e sabe que estão conectados, será importante estabelecer estratégias consistentes para as redes sociais (Linkedin, Twitter, Instagram, Facebook, Youtube etc.). Porém, é necessário antes entender qual a melhor rede social para atingir o potencial cliente.

Cite alguns exemplos de ferramentas que podem ser utilizadas no marketing jurídico.

  • Utilização de Redes sociais jurídicas, blogs e portais como o próprio Jusbrasil, que ajudam a elevar a reputação e credibilidade do profissional e aumentam as possibilidades de rankear no Google;
  • Plataformas para realizar campanhas de inbound marketing, e-mail marketing, automação de marketing (Dinamize e Resultados Digitais);
  • Ferramenta para a criação de templates personalizados para as redes sociais, materiais institucionais, apresentações, infográficos, cartões de visita (Canva.com);
  • Plataforma para reuniões e webinars (Zoom.us e Skype);
  • Plataforma para venda de ingressos e inscrições para palestras, cursos e webinars e gestão de participantes (Sympla);
  • A utilização de QR Code para facilitar algumas comunicações, sendo que o código pode ser inserido nos cartões impressos, cartões digitais, nas petições, nas apresentações institucionais e até mesmo em e-books e livros impressos;
  • Aplicativos de mensagens instantâneas como WhatsApp e Telegram também podem ser utilizados para ações de marketing, com a permissão do cliente e sem ferir as normas do código de ética. Por exemplo: o compartilhamento de um artigo via Telegram;
  • Plataforma para gerenciamento dos perfis nas redes sociais (Hootsuite.com).

Sabemos que existem conteúdos jurídicos de diversos formatos na internet. Há algum tipo de conteúdo que atraia mais visibilidade?

Os vídeos tendem a crescer cada vez mais em função das ferramentas disponíveis no mercado. As pessoas se conectam com vídeos e atualmente temos um crescimento do aplicativo TikTok, o Youtube segue sendo o segundo maior buscador do mundo e é uma fonte incrível para compartilhamento de conteúdo e fortalecimento da marca. O Instagram também possui funcionalidades bacanas para a inserção de vídeos como IGTV, Stories e Feed.

Outra opção que vem crescendo muito no Brasil, são os Podcasts. Recentemente, a empresa Deezer realizou um levantamento e revelou uma pesquisa indicando que os programas de áudio sob demanda cresceram 67% no Brasil em 2019. Apesar do podcast já existir há alguns anos os índices de audiência estão aumentando muito em virtude da popularização e fácil acesso aos serviços de streaming. A utilização de áudio pode ser uma boa estratégia para advogados e profissionais que têm vergonha de gravar vídeos.

Você oferece mentoria e treinamento sobre marketing jurídico. Quais os principais desafios que seus alunos enfrentam na área?

Às vezes existe uma resistência quanto às ações de marketing, pois muitos temem fazer algo que não esteja de acordo com o código de ética. Alguns profissionais também não conseguem se organizar para estudar outras áreas importantes como marketing digital, empreendedorismo, gestão e negócios. A falta de disciplina e consistência para produzir conteúdo relevante para as redes sociais, site do escritório e outras mídias também é um desafio para o meio jurídico.

Houve alguma mudança no marketing jurídico nos últimos anos? Se sim, quais foram?

Nesse período que atuo especificamente com marketing jurídico pude presenciar várias mudanças e acredito que verei muitas outras. Começando pelo crescimento da utilização das redes sociais por parte dos advogados, bancas jurídicas começaram a enxergar a importância de implementar programas estruturados de endomarketing, advogados mais atentos à inovação, um novo olhar para o nomadismo digital e home office. Também acompanho muitos advogados aprendendo sobre técnicas de SEO – Search Engine Optimization.

As estratégias de marketing jurídico ganharam mais destaque no mundo digital, além disso surgiram softwares e ferramentas que possibilitam melhorias no atendimento aos clientes como confecção de propostas mais visuais, cartões de visita online, softwares jurídicos mais dinâmicos e modernos, a utilização do design thinking para solucionar problemas e obter novas ideias e a própria inteligência artificial que está ganhando cada vez mais espaço no setor.

Fale um pouco sobre a publicação de conteúdos de terceiros na internet, e como isso impacta no marketing jurídico?

O marketing de conteúdo é extremamente eficaz para qualquer nicho de mercado. Na advocacia é uma das ações mais importantes para fidelizar a marca do advogado, criar autoridade no mercado e ser visto como especialista. Hoje temos ferramentas maravilhosas para a publicação de artigos, como o próprio Jusbrasil. O Linkedin também é uma rede incrível para compartilhar artigos e ter um alcance muito bom na plataforma, além dos próprios canais do escritório como site e blog.

Eu recomendo sempre que foquem na produção intelectual, que organizem suas agendas para publicar pelo menos um artigo por mês nos canais de comunicação. Artigos com linguagem universal, aquela linguagem que todos possam entender, fugindo do famoso “juridiquês”.

Como medir se a estratégia de marketing jurídico está dando certo?

As estratégias de marketing precisam ser realizadas com planejamento e consistência. A partir do momento que existe regularidade, é possível obter métricas. No caso das redes sociais através dos próprios relatórios disponibilizados em cada mídia. Para analisar as métricas do site ou blog do escritório, o Google Analytics é uma ótima ferramenta para obter dados sobre acessos, informações sobre o perfil dos usuários, links mais acessados etc.

Outra forma de medir resultados é sempre perguntar de onde vem aquela fonte quando o profissional for contatado. Se algum prospect solicitar proposta, pergunte onde ele viu o seu contato, como ele chegou até você. Em casos de e-mail marketing, analisar o relatório de envios (pessoas que clicaram e contataram). Normalmente quando o escritório é atendido por uma agência, é parte do serviço o envio do relatório de atendimento e resultados. Saliento, contudo, que é importante sempre analisar os resultados para entender o quanto a sua movimentação nas mídias digitais está impactando outras pessoas.

Compartilhe este post
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *